sexta-feira, 22 de março de 2019

Líder do PSL na Câmara defende permanência de Maia na articulação da Previdência

O líder do PSL na Câmara, Delegado Waldir (PSL-GO), defendeu nesta sexta-feira (22) a permanência do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, na articulação para a aprovação da reforma da Previdência.
Para o parlamentar, sem a participação de Maia a proposta terá "grandes dificuldades". O PSL é o partido do presidente Jair Bolsonaro.
"O presidente Rodrigo Maia é o principal defensor da reforma da Previdência. Ele é uma pessoa indispensável", disse Waldir.
"O governo, o presidente da República, como chefe de Poder, tem que tratar com o presidente Rodrigo Maia, que é o meu presidente. Então ele tem que tratar dessa reforma com o presidente da Casa. É indispensável na condução desse processo o comando do presidente Rodrigo Maia. Se ele não estiver nesse projeto, a reforma da previdência terá grandes dificuldades", completou.
O líder do PSL defendeu ainda que o governo monte uma base aliada e disse que hoje não há os votos necessários para aprovar a proposta de reforma. Esses temas seriam debatidos num almoço nesta sexta com o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, e com o presidente da CCJ, Felipe Francischini (PSL-PR).
"Nós vamos para ouvir. E se perguntado, vamos contar ao ministro da Casa Civil que ele tem que montar um bloco de apoio para aprovar a reforma da Previdência. São 308 votos. Tem que ter uma margem de segurança de 320 votos. E não tem isso hoje para aprovar a reforma da Previdência."
O parlamentar afirmou também que, com as diferenças entre as novas regras previdenciárias para servidores civis e os militares, há "cisões internas" dentro do PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro.
"O único partido hoje que declarou apoio à reforma da previdência foi o PSL, mas hoje já com a reforma da Previdência já inclusive temos as cisões internas", disse.
Em uma rede social, Rodrigo Maia afirmou que não vai deixar de defender a reforma da Previdência. “Nunca vou deixar de defender a reforma da Previdência”, postou o presidente da Câmara.

Homem armado invade clínica médica e rouba celulares e dinheiro em Natal

Um homem invadiu uma clínica médica na Zona Norte de Natal na manhã desta sexta-feira (22) e roubou os celulares dos clientes, além de dinheiro que estava com as atendentes, referente a exames. O suspeito chegou a pé e a ação foi filmada por uma câmera de segurança.
O homem entrou na clínica, que fica no bairro Igapó, com uma mochila nas costas e um capacete em uma das mãos. Logo em seguida, sacou uma arma da cintura e saiu recolhendo os celulares das pessoas que aguardavam para serem atendidas.
Dirigiu-se até a recepção, de onde levou R$ 230 que eram referentes ao pagamento de exames que a clínica realiza. Em seguida, o homem fugiu e não foi mais visto.

Bolsonaro diz que 'não deu motivo' para Maia deixar articulação da Previdência e quer trazê-lo de volta

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta sexta-feira (22) que pretende conversar com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para tentar trazê-lo de volta à articulação da reforma da Previdência.
Ao site do jornal "O Globo", Maia disse que a responsabilidade "daqui para frente" sobre a articulação para aprovar a reforma é do governo.
Isso porque, segundo noticiou o jornal, Maia ficou insatisfeito com críticas feitas a ele em redes sociais pelo vereador Carlos Bolsonaro(PSC-RJ), filho do presidente Bolsonaro.
"Eu quero saber o motivo que ele está saindo [da articulação da Previdência]. [...] Estou sempre aberto ao diálogo. Eu estou fora do Brasil, mas quero saber qual o motivo, mais nada. Eu não dei motivo para ele sair", disse Bolsonaro nesta sexta no Chile, onde está para participar de encontro com outros presidentes sul-americanos.
Questionado, então, sobre como trazer Maia "de volta" para a articulação, respondeu: "Só conversando, não é? Você nunca teve uma namorada? E quando ela quis embora, o que você fez para ela voltar? Conversou?"
"Estou à disposição para conversar com o Rodrigo Maia, sem problema nenhum", concluiu o presidente.
Reeleito presidente da Câmara com 334 dos 512 votos, Maia já fez diversas declarações públicas a favor da reforma da Previdência e chegou a afirmar, em entrevista à GloboNews, que esta é a "última" chance de o Congresso aprovar a reforma sem retirar direitos da população.